Campanha “Cultivando o Bem” beneficiou famílias das comunidades ribeirinhas das áreas de várzea


A Secretaria de Estado da Produção Rural (Sepror), por meio do Departamento Pedagógico (Depe), finalizou a campanha social “Cultivando o Bem”. A ação iniciou em junho e teve o objetivo de arrecadar cestas básicas para as famílias das áreas de várzea que perderam parcialmente suas rendas devido à cheia dos rios e que se agravou ainda mais com o isolamento social causado pela pandemia da Covid-19.
A campanha contou com o apoio dos servidores do Sistema Sepror, Instituto de Desenvolvimento Agropecuário Florestal Sustentável do Amazonas (Idam), Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Amazonas (Adaf) e Agência de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (ADS).
A ação inicial partiu do coordenador da Agência Amazonense de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental (AADESAM), Márcio Souza, que mobilizou os funcionários do Sistema Sepror e recebeu total apoio do secretário da pasta, Petrucio Magalhães Júnior, que juntos coordenaram, arrecadaram e distribuíram as doações para as famílias ribeirinhas.
Posteriormente, a campanha sensibilizou outros apoiadores da causa, contando assim com a parceria da Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), que fez uma doação de 1000 cestas básicas para a Sepror, possibilitando o atendimento a mais famílias das comunidades ribeirinhas.

O apoio das vinculadas Idam, Adaf e ADS, na logística de entrega das cestas básicas, foi fundamental para que a ação atingisse realmente as famílias que mais precisavam. A seleção dessas famílias ocorreu por meio de cadastro no Centro de Referência de Assistência Social (Cras) e por meio de uma comissão, que analisou a lista das famílias que são assistidas pelo Idam desses municípios e que se encontravam em estado maior de gravidade e vulnerabilidade social.
Ao todo, a campanha “Cultivando o Bem” arrecadou 13,4 toneladas de alimentos no período de junho a julho de 2020, beneficiando aproximadamente cinco mil pessoas nos municípios do Careiro da Várzea, Manacapuru, Anamã e Beruri, que estavam em vulnerabilidade alimentar e com isso, conseguiu contribuir para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), os quais visam, entre outros aspectos, dar mais qualidade de vida e zerar a fome em todo o mundo.

Para a gerente do Depe, Eliane Craveiro, que fez parte da comissão e esteve à frente da campanha, foi muito satisfatório poder ajudar quem produz o alimento que vai para a mesa da população. “Quando você faz o bem, dá uma sensação de alívio, é como se fosse uma recompensa ver a alegria do produtor rural, ao mesmo tempo em que eles agradeciam e diziam que o alimento estava chegando em boa hora”, disse.

Fotos: Divulgação/Sepror
Postagem Anterior Próxima Postagem
O Amazonense