Após a primeira aprovação em plenário, o projeto de lei segue em regime de urgência encaminhado para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ)

Prescrições de receitas dos medicamentos controlados poderão ser aceitas em farmácias e drogarias de Manaus, durante a pandemia do novo coronavírus por meios eletrônicos como email e whatsapp, desde que a partir da original. A medida foi idealizada pelo vereador André Luiz (PL) com o projeto de lei 142/2020, deliberado, nesta terça-feira (19), durante a sessão plenária virtual da Câmara Municipal de Manaus (CMM).
“Para realizarem a compra desses medicamentos, as pessoas terão que fazer um cadastramento digital. Isso será mais um recurso para quem tem dificuldades de acesso a medicamentos como azitromicina, um dos poucos disponíveis, até que saibamos mais sobre o Covid 19", disse.

Cuidados preventivos precisam ser mantidos

Ainda de acordo com o parlamentar, a medida, também, endossa sua preocupação na manutenção dos cuidados preventivos com o novo coronavírus, mesmo com a queda do número de enterros (de 118 para 59, diariamente) e de atendimentos do Serviço Móvel de Urgência (SAMU), registrados, neste fim de semana, em Manaus, de acordo com dados oficiais da Prefeitura da capital.


"Nossa preocupação é que os cidadãos continuem com as medidas de isolamento social e se resguardando. Muitas pessoas com Covid 19 acabam se tratando em casa, por isso, a receita eletrônica tem muito a contribuir, diminuindo, também, a lotação nos hospitais e facilitando no atendimento dos casos mais graves", explicou.

Manaus ainda concentra o maior número de casos

Vale lembrar que, em março, o primeiro mês de quarentena no Amazonas, apenas 52,2% da população seguiu recomendações de isolamento e medidas como o uso da máscara. Manaus ainda concentra 51,2% dos casos do novo coronavírus no Estado, com mais de 10,407 contaminados e 949 mortos.

Postagem Anterior Próxima Postagem
O Amazonense