Com a finalidade de contribuir com fortalecimento espiritual, psicológico e de assistência social para população em tempos de crise, o vereador André Luiz (PL) fez uma indicação ao prefeito de Manaus, Arthur Neto, sugerindo que igrejas e templos de qualquer culto possam ser incluídos como atividade essencial em períodos de calamidade pública, sendo vedado seu fechamento total.
A indicação foi deferida pela mesa diretora da Câmara Municipal de Manaus (CMM) nesta terça-feira (28) e segue para a aprovação do chefe do executivo municipal. “Sabemos que esses espaços têm papel fundamental no nesse período de crise. Servem como ponto de apoio fundamental. Em muitos momentos, o próprio poder público pode utilizar tais estruturas, como ocorre em outras regiões do país”, explica André Luiz.

Reabrir, mas com critérios
Se a medida for sancionada, os templos poderão funcionar normalmente, mas, seguindo todos os critérios de segurança, como por exemplo, a obrigatoriedade do uso de máscara, distanciamento de 1 metro e meio a 2 metros por pessoa, o fornecimento de álcool em gel e líquido 70% e os cultos em tempo reduzido, entre outros.  “Ainda existem dúvidas freqüentes sobre a COVID 19 e esclarecê-las perto de pessoas de sua confiança, ajuda no processo de fortalecimento emocional dos fieis", pontua.

Zelar pelo espiritual e emocional


Para André, o apoio das igrejas nesse momento conturbado em que o mundo vive, vai auxiliar os casos de depressão. “Reduziremos, ainda, os casos de depressão, causados em pessoas que moram sem nenhum tipo de apoio e também de violência conjugal, em que a vítima é obrigada a conviver com o agressor, em alguns casos", afirma o parlamentar. 
A Constituição Federal em seu art. 5º, inciso VI garante a liberdade religiosa e o funcionamento destes locais.  O projeto de lei pretende regulamentar e fechando brechas para uma atuação ilegal.

Postagem Anterior Próxima Postagem
O Amazonense