FRANCISCO BEZERRA, EX-PRESIDENTE DA CÂMARA DE MANACAPURU, TEM CONTAS JULGADAS COMO IRREGULARES PELO TCE E TERÁ QUE DEVOLVER MAIS DE R$100 MIL REAIS AOS COFRES PÚBLICOS

O ex-vereador Francisco Fernandes Bezerra, teve a sua prestação de contas referente ao exercício de 2015, quando o mesmo assumiu a presidência da Câmara Municipal, julgadas irregulares pelo Tribunal de Contas do Estado do Amazonas.

Em sua decisão, o Conselheiro Relator Ari Moutinho, identificou diversas irregularidades na prestação de contas do ex-vereador, entre as mais graves por deixar demonstrar o bom e regular uso do dinheiro público, além de atos de gestão ilegítimo ou antieconômico de que resulte injustificado dano ao erário público, atraso no encaminhamento dos demonstrativos contábeis e por atos praticados com grave infração à norma legal ou regulamentar de natureza operacional  financeira e orçamentária.

Somadas todas as infrações, o ex-vereador foi multado e terá que devolver aos cofres públicos a quantia de R$ 108.245,22 (Cento e oito mil, duzentos e quarenta e cinco mil reais e vinte e dois centavos).

Francisco Bezerra que nas eleições de 2016 não disputou nenhum cargo eletivo, mas indicou seu filho Alex Bezerra ao pleito, hoje se apresenta em Manacapuru como pré-candidato ao cargo de prefeito, onde distribui folhetos nas residências (configurando campanha eleitoral antecipada) dizendo ser a renovação, mesmo tendo sido aliado e um dos homens de confiança do ex-prefeito Jaziel Alencar “Tororó” (também condenado a devolver recursos aos cofres públicos por desvio de dinheiro). Bezerra agora terá que se explicar sobre as irregularidades encontradas na sua prestação de contas durante o ano de 2015, sem contar que ainda faltam ser julgadas as suas contas do período de 2016.

ALIANÇA COM TORORÓ LHE GARANTIU A PRESIDÊNCIA DA CÂMARA EM TROCA CASSAVA A PALAVRA DE OPOSICIONISTAS

Para garantir a Presidência da Câmara no biênio 2015-2016, o ex-vereador Francisco Bezerra, que até então era de oposição, fez uma aliança com Jaziel Alencar, já que o grupo da base de “Tororó”, não tinha o número de votos suficientes para ganhar o pleito. Faltando dois dias para a eleição na câmara, Bezerra se uniu ao ex-prefeito e foi eleito com os votos de vereadores da base aliada a gestão da época.

Quando assumiu a presidência, Bezerra, fez jus a aliança firmada com o ex-prefeito e cassou por várias vezes o direito do vereador Zeca Furtado (que na época era de oposição), de se manifestar na tribuna, somente porque o mesmo criticava veementemente a gestão municipal, que já vinha enfrentando manifestações de funcionários cobrando meses e meses de salários atrasados.

veja os documentos do TCE abaixo




Postagem Anterior Próxima Postagem
O Amazonense