© Gianluigi Guercia Uma das minas da Sibanye-Stillwater na África do Sul: em 2018, sete operários mortos em desabamento em uma mina e mais de 1.000 presos em outra – 01/02/2018

Cerca de 1.800 mineiros estão presos em uma mina de platina do norte da África do Suldesde que um acidente, nesta terça-feira, 30, bloqueou a saída do local. A Sibanye-Stillwater, empresa que explora minérios da região, informou não haver feridos.

O acidente ocorreu por volta das 13h locais (7h no horário de Brasília). O incidente foi informado pela Associação de Mineradores e União da Construção (ACLU), que denunciou inicialmente que 4 mil trabalhadores estavam presos na mina. O número foi reduzido posteriormente pela Sibanye-Stillwater.

A empresa está trabalhando para liberar a saída do local, bloqueada após a queda de algumas barras de sustentação. No entanto, se os técnicos chegarem à conclusão de que a infraestrutura não é segura, um caminho alternativo será aberto por uma mina próxima.

“Estávamos transportando objetos sob a terra, mas alguns caíram. Agora estamos eliminando tudo o que obstrui a saída e realizando uma inspeção completa”, indicou James Wellsted, porta-voz da Sibanye-Stillwater.

A ACLU disse esperar que os trabalhadores sejam libertados o mais rápido possível e criticou a Sibanye-Stillwater por, mais uma vez, não ter informado a associação a tempo sobre o incidente. Nos últimos anos, vários acidentes afetaram os funcionários da empresa sul-africana. Sete mineradores perderam a vida em um acidente registrado em outra mina do país em maio de 2018, após um tremor que provocou um desabamento no local.

Além disso, em fevereiro de 2018, cerca de mil mineradores ficaram presos na mina de ouro de Beatrix, no estado de Libre, operada também pela Sibanye-Stillwater. Depois de 30 horas presos devido aos problemas elétricos ocasionados por uma tempestade, os mineradores foram resgatados.

(Com EFE)
Postagem Anterior Próxima Postagem
O Amazonense