Estado e Prefeitura buscam solução de moradia às famílias vítimas do incêndio do Educandos

Ações de acolhimento, em especial a construção de uma solução de moradia às famílias vítimas do incêndio no bairro Educandos, estão sendo discutidas pelo Governo do Amazonas e a Prefeitura de Manaus

Nesta quarta-feira, 27 de março, o vice-governador Carlos Almeida, a presidente do Fundo Manaus Solidária, primeira-dama Elisabeth Valeiko, e representantes de órgãos de habitação, assistência social e cidadania e justiça, de ambos governos, deram mais um passo para definir um projeto de moradia, o mais esperado pelas mais de 500 famílias que perderam tudo no incêndio.

O vice-governador destaca a importância da parceria com o Município, em um problema que deve ser de todos. ‘’Essa é uma questão sobretudo de dignidade, de cidadania. Além do mais, as questões de assistência social afetam a todos, municípios e Estado. Unir forças nos ajuda a encontrar soluções de execução mais rápida, e essa é uma das principais preocupações nossas com essas famílias’’. O vice-governador defende projeto de moradia que seja realizado no menor tempo possível.

Ganha a população – Na avaliação da primeira-dama, a parceria entre Estado e Município é importante para a população.

“Estamos acompanhando as famílias desde o primeiro momento, com doações em roupas, cestas básicas, auxílio-aluguel e tudo aquilo que está ao nosso alcance para minimizar o sofrimento dessas pessoas. Foi uma reunião muito importante, na qual compartilhamos nossos conhecimentos técnicos e unimos esforços para dar uma resposta a essas famílias que hoje esperam por moradia”, destacou Elisabeth Valeiko.

Na semana passada, o vice-governador Carlos Almeida, as secretárias de Estado de Assistência Social, Márcia Sahdo, de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania, Caroline Braz, e a secretária municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania, Conceição Sampaio, estiveram com líderes e parentes dos moradores vítimas do incêndio do Educandos, que relataram o drama das famílias.

Gratidão – O militar João Pinheiro de Menezes tinha dez parentes que residiam na área do incêndio, incluindo a mãe. “Todos moravam muito perto, o incêndio destruiu tudo. A minha mãe, de 82 anos, mora comigo desde então e até hoje ela lembra da casa, quer voltar para a casa dela. Somos muito gratos à solidariedade da população, ao trabalho da Prefeitura, e ao empenho do vice-governador em encontrar uma solução de moradia para todos, como minha mãe”, relata Menezes.

O Governo do Amazonas e a Prefeitura de Manaus também estão preocupados com a área do incêndio, para que não seja reocupada. Além disso, existem residências que não foram atingidas diretamente pelo incêndio, mas tiveram estruturas danificadas.
Postagem Anterior Próxima Postagem
O Amazonense