O MÓRMON E A PIRIGUETE DO ZUMBI - CONTO DO VIGÁRIO

"passou uma mão na minhas coxa e a outra enfiou entre minhas pernas, como tenho  coxas avantajadas deixei-o sentir a quintura escondida entre elas"

Meu nome é Mileyde (Claro fictício) tenho 26 aninho, amo funk, unhas postiças, sair com as amigas, adoro usar marguta, saias curtas e  expor minha tatuagem na coxa na perna esquerda.

Já tive treta com algumas vizinhas, mas a culpa é delas, sou uma garota comportada, o problema é que a vizinhança toda tem inveja de mim, modéstia parte, me considero uma santa, não faço nada a ninguém ,mas minha presença incomoda as inimigas.

Um belo dia estava em casa, fazendo as coisas e pagando de doméstica, de repente alguém bate na minha porta, abaixo o MC Catra no volume zero e fui atende-los. Nossa!!! Eram dois boys com uma plaquinha preta no peito, blusa estilo colegial, calças pretas e uma gravatinha fininha, mandei logo entrar porque odeio ficar conversando de porta, não sou mulher de kitnet pra isso ok!

Pois bem, os boys começaram a conversar e tinha um que era americano e outro do Jorge Teixeira, sinceramente eu não estava afim de conversas, então sentei de pernas cruzadas pra exibir minha tatoo, de vez em quando eu me levantava e a saia subia, então lentamente eu puxava rebolando um pouquinho e sempre pedindo desculpa. (tipo ficando sem graça)

Papo vai papo vem e minha mãe tava pra chegar e tinha que terminar de fazer as coisas, então falei pra eles ir direto ao ponto, o que eles estavam querendo comigo, fizeram um convite pra conhecer a igreja, então propus minha condição, só iria se um deles me desse um selinho, todos riram.

Eu só muito espontânea e amo conversar fazendo piadinha, o problema é que o americano aceitou minha proposta, fiquei passada, o boy do Jorge Teixeira somente ria e balançava a cabeça dizendo não. Conversa vai conversa vem, o boy do JT pediu pra ir ao banheiro, gente! foi nessa hora que ataquei o americano, lasquei um beijo nele e respondeu rapidamente, passou uma mão na minhas coxa e a outra enfiou entre minhas pernas, como tenho  coxas avantajadas deixei-o sentir a quintura escondida entre elas. Gente o cara ficou vermelho, rosa choque igual um camarão.

Eu garota santa, sentei nas pernas dele e sentir um negócio que estava me incomodando. Quando percebi sua calça estava quase estourando, então passei  a mão por cima e mal podia fecha-la, não sei se ele era humano ou minotauro sei que era bem cavalado.

Por um segundo pensei  em convida-lo pra entrar no meu quarto , mas, o boy do Jorge do Teixeira voltou do banheiro e disse que tinha que ir. Fiquei puta. Agradeci pela visita e dei meu número pro americano, mas, até agora não me ligou. Quero fazer um apelo: Americano cavalado você me deixou molhadinha volta lá no Zumbi  venha me visitar durante a semana, to sozinha todas as manhãs.

*Conto enviado por uma leitora do portal, se você tem um conto especial nos envie. Todos os domingos teremos "História pra boi dormir"

Postar um comentário

0 Comentários