Familiares do estudante Kaiubi de Oliveira Carvalho, encontrado morto no domingo (5) na Zona Leste de Manaus, afirmam que o adolescente pode ter sido morto por engano. A vítima, de 16 anos, estudava no Colégio Militar da Polícia Militar (CMPM IV). O corpo dele tinha marcas de agressão, além de cortes na cabeça. Ele foi enterrado nesta segunda-feira (6).

O motorista Ângelo Neto, pai do estudante, relatou à Rede Amazônica que o filho cursava o segundo ano do ensino médio e pretendia seguir na carreira militar.

"Ele ia fazer agora dia 13, 17 anos. Ele já estava falando para mim: 'pai eu já vou me alistar no quartel'. Mataram meu filho inocente", contou.

O crime
 
Corpo foi achado em área de igarapé (Foto: Patrick Marques/G1)
 
 A família afirma que o adolescente andava pelo Ramal Val Paraíso, bairro Jorge Teixeira, no fim da tarde de domingo, quando foi abordado por assaltantes. Os criminosos levaram dinheiro, o celular e um cordão da vítima.

Após o roubo, os homens deixaram Carvalho desacordado no local e contaram aos populares que passavam pelo ramal, que o adolescente era um assaltante. Ainda segundo a família, um grupo de pessoas começou a agredir o estudante com pedaços de madeira. Ele morreu no local.

De acordo com a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), o corpo do adolescente foi encontrado próximo a um igarapé com marcas de agressão e cortes na cabeça. O caso é investigado e até a tarde desta segunda-feira, nenhum suspeito do crime havia sido identificado.
g1
Postagem Anterior Próxima Postagem
O Amazonense