Reprodução Internet
A Justiça do Rio de Janeiro condenou Renato Peixoto Leal Filho, de 43 anos, a sete anos de prisão por contaminar mulheres com o vírus HIV. Soropositivo, ele foi acusado por duas mulheres de manter relações sexuais sem preservativo com o objetivo de transmitir-lhes a doença, incurável. Peixoto está preso preventivamente desde julho do ano passado. A decisão é de primeira instância e cabe recurso.

Segundo a decisão da juíza Lúcia Regina Esteves de Magalhães, a tática de Peixoto consistia em conhecer as vítimas pela internet, prometer um relacionamento estável e atraí-las para seu apartamento, na Barra da Tijuca. Nos encontros, observa a magistrada, o acusado convencia as vítimas a desistir do uso de preservativo alegando a necessidade de “confiança” entre ambos e que ele mantinha as relações sexuais “de forma extremamente violenta”, facilitando o contágio do vírus.

Para a juíza, houve dolo (intenção) no comportamento do acusado. Entre as provas apresentadas no processo, há vídeos de Renato praticando sexo com as vítimas e outras mulheres sem preservativo e depoimentos de testemunhas que relatam ter mantido relações sexuais com o acusado sem que tivessem sido informadas de que ele era soropositivo.
Postagem Anterior Próxima Postagem
O Amazonense