Outro conflito gerado pelo racha entre CV e FDN, segundo Torres, é a disputa pela rota do tráfico de drogas no rio Solimões.

Imagem: Internet

A aliança entre a facção criminosa amazonense Família do Norte (FDN) e a carioca Comando Vermelho (CV) acabou. A afirmação é do delegado Guilherme Torres, titular da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (DRCO) e foi publicada em reportagem do portal de notícias UOL nesta segunda-feira (14).

De acordo com o que Torres declarou ao UOL, o rompimento da parceria aconteceu depois que os líderes da FDN descobriram um plano de traição arquitetado pelo ex-integrante da facção Gelson Carnaúba, o “Mano G”. Carnaúba era um dos principais líderes da FDN, ao lado de José Roberto Fernandes Barbosa, o “Zé Roberto da Compensa”, e João Pinto Carioca, o “João Branco”.

“Quando eles descobriram o plano, expulsaram o Gelson. Como ele já tinha ligações fortes com o Comando Vermelho desde os tempos em que estava em Campo Grande, agora, ele é o homem do CV no Amazonas”, afirmou o delegado.

Atualmente, "Zé Roberto da Compensa"", "João Branco" e "Carnaúba" estão no Presídio Federal de Catanduvas (PR).

Ligação do Comando Vermelho com a fuga de presos no CDPM 2

As declarações do delegado Guilherme Torres levanta a suspeita de envolvimento da facção Comando Vermelho com a fuga de 35 presos no Centro de Detenção Provisória Masculino 2(CDPM 2), em Manaus, no último sábado (12).

Kaio Wellignton Cardoso dos Santos, vulgo “Mano Kaio”, um dos 35 presos que fugiram da unidade prisional localizada no km 8 da rodovia BR-174 (Manaus – Boa Vista), é ligado ao Comando Vermelho e apontado como ‘soldado’ de Gelson Carnaúba.

"Mano Kaio" foi preso no dia 18 de agosto do ano passado, no Rio de Janeiro. Ele chegou em Manaus no dia 22, e foi apresentado no 23. Durante a apresentação, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) à época, Juan Valério, revelou que o criminoso planejava um ataque aos traficantes do Igarapé do 40 e que a série de mortes entraria para história do Amazonas.

Segundo Torres, a maior parte dos homicídios que estão sendo registrados recentemente nos bairros Mutirão, Zona Norte de Manaus, e na região do Igarapé do 40, na Zona Sul, são decorrentes do conflito por pontos de drogas entre Comando Vermelho e Família do Norte. “Nós temos registrado pelo menos um homicídio nesses bairros por dia”, declarou o Torres ao Uol.

Outro conflito gerado pelo racha entre CV e FDN, segundo Torres, é a disputa pela rota do tráfico de drogas no rio Solimões. Agora, a briga pelo controle da rota sai da disputa entre a aliança de amazonenses e cariocas contra o Primeiro Comando da Capital (PCC) e passa a ser feita pelas três facções criminosas.

A Critica

Post a Comment