Nessas horas é estudante universitária, bixa safada 

A tal da universitária  de 32 anos foi presa na tarde da última segunda-feira (23) 

suspeita de oferecer imóveis que não estavam à venda, em Manaus. Segundo a Polícia Civil, Shirlane dos Santos Felício se passava por funcionária da Secretaria de Estado de Habitação (Suhab) e cobrava quantias em dinheiro para adiantar processos de documentação das casas.

De acordo com o delegado Jeff Mac Donald, titular do 6º Distrito Integrado de Polícia (DIP), as investigações iniciaram após denúncia anônima de uma das vítimas.

“Na denúncia dizia que uma pessoa se passava por funcionária da Suhab e divulgava que conseguiria casa para aquela pessoa. Durante as investigações, ela com mais uma outra pessoa iam em um carro preto e se passava por um carro oficial. Ela falava que, como ela trabalhava lá, tinha acesso para escolher quem ia agilizar a documentação para tal. Ela cobrava o valor de R$ 5 mil”, afirmou.

Segundo Mac Donald, Shirlane usava o próprio nome para aplicar os golpes e agia praticando o crime há cerca de três meses. Estima-se que ela tenha lucrado aproximadamente R$ 50 mil. Após a prisão, outras 12 pessoas compareceram à sede da delegacia e se apresentaram como vítimas da mulher.

Ela informou, em depoimento, que praticava os golpes porque estava sem dinheiro e não agia com ajuda de outras pessoas.

A polícia afirmou que investiga a participação de um suposto motorista, que levava Shirlane ao encontro dos clientes.

Prisão

A estudante foi presa na tarde de segunda-feira na rua Arapari, no bairro Cidade Nova, onde ela escolhia casas supostamente abandonadas para oferecer.

Na manhã desta terça-feira, Shirlane foi apresentada em coletiva de imprensa, mas não quis comentar o caso. Ela vai ser encaminhada a uma audiência de custódia, segundo o delegado.

Suhab

A Suhab informou, por meio da Polícia Civil, que não está realizando nenhum tipo de venda de imóveis ou terrenos.

A secretaria afirmou, ainda, que nenhum funcionário tem autorização para tal atividade e reforça que procure a Superintendência, localizada na Alameda Cosme Ferreira, n 7600, no bairro Coroado, na Zona Leste de Manaus, caso a população encontre alguma oferta. As denúncias podem ser feitas pelo número: (92) 3647-1000.
Postagem Anterior Próxima Postagem
O Amazonense