O casaco com capuz e estampa pode ser comprado no site da H&M com duas opções de dizeres: “Especialista em sobrevivência” e “Macaco mais legal da selva”. O modelo que aparece vestindo o primeiro é um menino branco, o que aparecia vestindo o segundo era – até 8 de janeiro – um menino negro. A H&M retirou a fotografia depois de numerosos protestos de clientes através do Twitter e do Facebook desde a noite de domingo. Uma das primeiras queixas foi da blogueira britânica Stephanie Yeboa, cuja denúncia teve mais de 15.000 retuítes em menos de um dia.

“De quem foi a ideia na H&M de fazer esse doce menino negro usar um suéter com a frase ‘Macaco mais legal da selva’?”, denunciava Yeboa em seu Twitter. Também se somou aos protestos o colunista do The New York Times Charles M. Blow, que mostrava menos delicadeza que Yeboa: “H&M, vocês perderam a maldita cabeça?”, escrevia.
A H&M confirmou ao Verne que retirou a fotografia de todos seus canais e pede desculpas aos clientes que tenham se sentido ofendidos. Atualmente, a peça continua à venda, mas, diferentemente dos outros produtos, a imagem que o acompanha é unicamente do suéter, sem modelo. Apesar de a maioria das críticas ter sido dirigida à loja online no Reino Unido, a imagem também aparecia no site espanhol. A foto ainda pode ser vista no cache da página.
As capturas de tela e as reclamações começaram a circular na Espanha na manhã de segunda-feira, quando a imagem já tinha sido retirada de todos os canais da H&M.
Depois de publicar a mensagem, Stephanie Yeboa contou que muitos homens brancos lhe escreveram para dizer que não havia nada errado na fotografia da H&M. O mesmo aconteceu com algumas mensagens em espanhol que criticavam a imagem da marca de roupa. Yeboa – e outras tuiteiras negras – fizeram algo que deveria ser desnecessário: explicar por que isso é racista.

What makes this worse, is that I now have a gaggle of white men in my mentions telling me that there is nothing wrong with this jumper.

I am just...speechless. pic.twitter.com/4AuX6FIm9E
As somebody who has been called a monkey many times by white people (both to my face and online), this is absolutely unacceptable.
Como alguém que foi chamada muitas vezes de “macaca” por pessoas brancas (tanto na minha cara como online), isso é absolutamente inaceitável. Além do mais, se você é branco, não está na posição de dizer aos negros o que devemos ou não devemos considerar racista. Só porque VOCÊS não experimentam o racismo, não significa que ele não exista. Não me importo se as pessoas acharem que estou sendo “sensível demais” com relação a isso. O triste é a quantidade de racistas neste thread / menções dizendo as coisas mais desagradáveis, sem entender por que a foto é problemática. É muito decepcionante. Boa noite.
A palavra “macaco” foi utilizada durante décadas para referir-se de forma depreciativa às pessoas negras. Alguns dos casos de maior repercussão estão no futebol, como o de Dani Alves, que era alvo de bananas jogadas da arquibancada, e os gritos “Marcelo é um macaco” dos torcedores do Atlético ao jogador do Real Madrid.
Postagem Anterior Próxima Postagem
O Amazonense