Por Yara Oliver

Dona Elissandra sentada a espera de cirugia
Fotos: Jane Coêlho / BLITZ AMAZÔNICO

Pacientes da enfermaria vascular do Hospital 28 de Agosto, denunciam o hospital por falta de roupa hospitalar para a realização de cirurgia. Entre eles, a cozinheira Elissandra Vieira Ribeiro, 40, internada há dois meses por causa de um ferimento no pé esquerdo precisa realizar a, raspagem para retirada do excesso de fibrina, a paciente é diabética e por conta disso dificulta ainda mais o processo de cicatrização da ferida.
De acordo com Elissandra, a cirurgia foi desmarcada cinco vezes por falta de roupa adequada para adentrar ao centro cirúrgico bem como equipamentos.
“ A equipe especializada em curativos do hospital realiza o procedimento sem anestesia, desse jeito, eu não aguento devido a dor ser intensa, eles não querem fazer no centro cirúrgico, eu preciso me operar”. Disse Elissandra.
O outro caso é da Turismóloga, Keyla Fabiano, 41, internada há 3 meses, e pede agilidade para resolver o seu problema, a paciente além de ser também diabética têm um ferimento no pé esquerdo e precisa realizar uma angioplastia, mas o que recebe dos médicos e enfermeiros segundo Keyla, é a seguinte pergunta diariamente: “A senhora quer que eu lhe dê alta?”.
Indignada com o tratamento tanto dos profissionais e da saúde pública do estado, resolveu pedir apelo e denunciar o caso as autoridades competentes.
A cirurgia que a paciente precisa fazer, segundo ela, não é feita pelo 28 de agosto, somente em outro hospital, mas até agora não tem previsão de quando irá acontecer a transferência.
“ Eu não aguento mais ficar aqui sem uma solução, estou esquecida neste leito”, concluiu keila.
A assessoria de imprensa do hospital se recusou a dá explicações sobre o caso.
Fotos: Jane Coêlho / BLITZ AMAZÔNICO
Postagem Anterior Próxima Postagem
O Amazonense