FOTOS: MAURO NETO/SEJEL / BLITZ AMAZÔNICO

Manobras radicais de encher os olhos e o aperfeiçoamento da nova safra das ‘rodinhas’. É isso que promete o Campeonato Interno Escolinha de Skateboards, que acontece neste sábado, dia 13, no Centro Estadual de Convivência Magdalena Arce Daou (Av. Brasil, s/n - Santo Antônio). O evento vai reunir 40 competidores, na pista do complexo, e inicia às 8h. A competição, que tem entrada gratuita, recebe apoio do Governo do Amazonas, via Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel).

Com previsão de duração de três horas, o Campeonato será dividido em quatro categorias, sendo Infantil (5 a 10 anos), Mirim (de 11 a 13 anos) Iniciante (de 14 até 15 anos), e Skate Terapia (Pessoas com Deficiência - PCDs). Um dos principais objetivos do evento é incentivar a nova geração em relação ao esporte, proporcionar competitividade e promover interação entre os atletas. O Infantil será em naipe mesclado, enquanto que os demais terá a divisão feminino e masculino.

“Todos os participantes do Campeonato fazem parte da “Escolinha de Skate”, que funciona no Magdalena Arce Daou, e que diariamente estão treinando e se esforçando para se tornar um skatista de ponta. Apesar de novos, os atletas encaram com muita responsabilidade esta competição e tenho certeza que vai ser um evento bonito e que vai impressionar muita gente. Além disso, um campeonato desse reúne a família do atleta, que vem apoiar e torcer”, disse o professor, Ney Metal.

Ainda segundo Ney, alguns nomes são favoritos ao pódio e prometem brigar pela primeira posição, como por exemplo Samuel Luna, Manuela Macedo e Dani Catão, pela Infantil; Jonathan Santos, Vinícius Feledi e Alex Santos, na disputa pela Mirim; e Gustavo Oliveira, Ivan Gomes, bem como Manoel Victor, pela Iniciante. “São atletas que se destacam na escolinha e que devem render bons resultados. Esses são skatistas promessas para dar bons frutos nos circuitos locais e nacionais nos próximos anos. Trabalhamos para isso”, comentou.

Vai emocionar!

Uma das categorias que deve mexer com o público é a Skate Terapia, prova voltada para paratletas com deficiência emocional, neurológica, psicológica e até comportamental. A apresentação, que tem caráter simbólico, vai abrir as competições às 8h. De acordo com Ney, na ocasião, será possível testemunhar a evolução e dedicação de jovens que muitos não imaginavam sob as rodinhas de uma prancha.

“O skate também exerce a função terapêutica e os exercício de saltos e manobras tem auxiliado os alunos a superar deficiências, como a paralisia cerebral, atrofia muscular, autismo, entre outros. Eles entendem que vão se apresentar no sábado e estão super ansiosos e felizes. Acredito que esta vai ser a categoria que mais vai emocionar, pois é uma lição não só esportiva, mas tambem de vida. Tem muitos aqui, que nem os pais acreditavam na evolução, e agora conseguem ver seus filhos realizando manobra”, disse Ney.

Escolinha

A Escolinha de Skate tem cinco anos e funciona no Centro Estadual de Convivência Magdalena Arce Daou, das 8h às 10h e das 17h às 19h30, de segunda a sexta, sendo que as terças e quintas as aulas são direcionadas para PCDs.  A ação é gratuita e quem desejar se inscrever as inscrições estão abertas para crianças a partir dos cinco anos de idade até 16.

A matrícula pode ser feita no departamento de esportes do Magdalena, das 9h às 17h, e basta levar os seguintes documentos: certidão de nascimento, foto e comprovante de matrícula da criança ou jovem. Os responsáveis terão que apresentar a original e uma cópia do RG, CPF e comprovante de residência.

“Temos vagas e nossa intenção é cada vez atingir mais gente para a prática do skate, que traz benefícios para o corpo e mente. É uma modalidade que fortalece os músculos, aumenta e regula os batimentos cardíacos, diminui o colesterol, ocupa de forma positiva o dia a dia, e leva uma filosofia de vida que preza pelo respeito e a paz. Ou seja, um esporte para quem quer se tornar profissional ou apenas praticar uma modalidade com o intuito de ter qualidade de vida”, convidou o professor Ney Metal.
Postagem Anterior Próxima Postagem
O Amazonense