O Hospital Regional de Tefé alerta a população sobre o aumento do número de acidentes ofídicos (picadas de Cobras) no município de Tefé. 

O fato está ligado diretamente às cheias dos rios e o número e casos praticamente duplicou de janeiro para abril de 2017. Os acidentes ofídicos no município de Tefé tem maior incidência na zona rural, e acomete principalmente os agricultores, com o agravante da demora no primeiro atendimento, uma vez que chegam de barcos, voadeiras ou até mesmo de rabetas, o que dificulta no tratamento devido às complicações advindas dos venenos e muitas vezes são transferidos para Manaus. 
Em Nota Técnica, a Fundação de Vigilância em Saúde e a Secretaria Municipal de Saúde de Tefé, alertam sobre a enchente, e os cuidados ao voltar para casas abandonadas, os cuidados são os seguintes: bater colchões e sacudir roupas, sapatos, toalhas e lençóis, limpar os arredores de casa usando luvas, botas e calças compridas, não colocar as mãos em buracos ou frestas, utilizar pedaços de madeira de cabos compridos para mexer nos móveis, usar calçados rígidos com proteção até os joelhos e não andar descalços.

Em caso de acidentes com cobras, encaminhar o paciente o mais rápido para o hospital, manter o paciente deitado em repouso, evitar que se mova sozinho, manter o membro afetado mais elevado que o restante do corpo e lavar o local do corpo com água e sabão. 

Em Tefé, 24 pessoas foram picadas por cobras nestes primeiros 4 meses de 2017, inclusive crianças, sem casos fatais ou de amputações, o Hospital conta com os Soros Anti-ofídicos (antipeçonhentos) e atende também pacientes de Alvarães, Uarini, Maraã, Fonte Boa, Japurá e demais localidades ribeirinhas. 

TeféNews
Postagem Anterior Próxima Postagem
O Amazonense