Nesta quarta-feira, 31, um total de três enxadristas seguem para Itajaí - SC, onde disputarão o Festival Nacional da Juventude de Xadrez (FENAJ), que acontece entre os dias 1º e 4 de junho. O evento serve de seletiva para o Mundial e Pan-Americano da Juventude e os competidores viajam com apoio da Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel).

O sistema de disputa será suíço, em seis rodadas, com ritmo de jogo de 1h30 com 30 segundos de acréscimo por lance, ou duas horas de nocaute em relógio analógico. Participarão atletas da categoria Sub-16, masculino e feminino, nascidos a partir de 1º de janeiro de 2001; e atletas da categoria Sub-18, masculino e feminino, nascidos a partir de 1º de janeiro de 1999.

O Amazonas será representado pelos alunos do 2º e 4º do Colégio da Polícia Militar do Amazonas (CMPM), como as tricampeãs estaduais Jamilly Ferreira, 17, e Letícia Gama, 15, ambas na categoria Sub-18, e pelo tambem tricampeão amazonense, Thales Ferreira, 16, na categoria Sub-16. Com um currículo repleto de vitórias, os três jogadores tem se preparado há cinco anos, desde que começaram a jogar xadrez, cada uma de maneira diferente.

Para o professor de xadrez, Jhonis Souza, do 4º CMPM, ir para o Festival foi uma conquista de muito trabalho, depois de vencerem o Festival Amazonense da Juventude (FAMAJ), que habilita os jogadores a ir para o nacional.

“Nós estamos trabalhando há um bom período, sempre conseguimos bons resultados nas etapas estaduais, e esse ano conseguimos a chance de ir para uma etapa nacional, esperamos então trazer bons resultados e conquistar o título para o Amazonas”, declarou Souza, que acompanha há quatro anos Letícia e Thales Ferreira.

Projeto

O professor Wellington Moraes, criou o Projeto Xadrez na Escola em 2015, no 2° CMPM. Era para ser apenas um projeto pedagógico que tinha como objetivo de ajudar os alunos na matemática, porém, ganhou proporções muito além do esperado. “Nós participamos da fase distrital em 2015, nos classificamos para o JEAs, onde ficamos em segundo lugar, um bom resultado para o primeiro ano. Em 2016, a Jamilly veio para nossa escola para somar com esse projeto e agora ela está representando não só o Amazonas, mas tambem a Polícia Militar”, disse Moraes.

Os competidores

Jamilly começou no xadrez em 2012, no EETI Elisa Bessa Freire, num projeto escolar, e por conta da impaciência e dificuldade de concentração. “Eu era uma pessoa muito sem paciência e no xadrez a gente precisa ter muita calma e eu vi nesse jogo uma maneira de me divertir com os amigos, melhorar minha concentração, ganhar competições, além de ser muito bom pra ajudar nos estudos”, lembrou a jogadora, que vai disputar pela primeira vez um campeonato nacional, e tem como principais adversários São Paulo, Distrito Federal e Santa Catarina.

Já Letícia, iniciou no xadrez aos 11 anos, pelo incentivo da escola em fazer com que os alunos participassem dos projetos pedagógicos. “Eu simplesmente me interessei pela modalidade que tinha mais o meu perfil”, disse. A jogadora ganhou competições no Amazonas, competiu no JEAs, no Regional Norte na categoria Sub-20, em 2014, nas seletivas distritais e tambem competiu o JEBs, em Fortaleza – CE. Por esta competição ela ficou em 11º lugar entre 28 jogadores.

“Quero trazer o melhor resultado pra minha escola e principalmente colocar o nome da escola no ranking nacional”, completou Letícia, que terá como principal adversária as jogadoras de São Paulo.

Thales Ferreira tambem tem um currículo bem grande de vitórias, ele é tricampeão amazonense, tricampeão no JEAs e ficou em 3º lugar na etapa nacional do JEBs. O jovem sempre jogou xadrez em casa, mas iniciou de fato na modalidade na EETI Elisa Bessa Freire em 2012. “Depois que eu entrei no projeto eu não parei mais, e agora a expectativa é fazer boas partidas, pretendo ser top cinco, mas dependendo dos jogos quero ficar no top três”, comentou o jogador, que terá como principais oponentes os competidores de São Paulo e Santa Catarina.
Postagem Anterior Próxima Postagem
O Amazonense