O governador do Amazonas, David Almeida, e o prefeito de Manaus, Arthur Neto, deverão reunir-se, hoje, e um dos assuntos da pauta será a possibilidade da volta do subsídio do  Estado  às empresas de transporte urbano para a redução do preço da passagem de ônibus, em Manaus. A informação foi divulgada pela Secretaria de Comunicação do Estado (Secom).
“O governo vai abrir mão de receita em prol da população. O dinheiro é da população. Eu quero propor ao prefeito Arthur a reedição desse acordo, mas eu dependo das análises dos custos da Prefeitura. Então, irei ao prefeito (Arthur) levar essa proposta. Eu não sei se é possível, mas preciso levar ao prefeito. Mas a minha intenção é dar subsídio do diesel para que possamos diminuir os custos da passagem de ônibus de Manaus”, revelou David Almeida, durante a posse de sete secretários estaduais.
Segundo a Secom, David também reunirá, hoje,  com representates da Prefeitura de Parintins, os presidentes do bumbás Garantido e Caprichoso e com os executivos da Coca-Cola para tratar do apoio ao Festival Folclórico deste ano. 
Sobre as mudanças nas secretarias, o governador disse  que os novos secretários vão otimizar o tempo para efetivar as políticas públicas, ao lado daqueles que permaneceram nos cargos das secretarias. A solenidade de posse  aconteceu no auditório da sede do governo,  no bairro Compensa I, zona oeste de Manaus.
“Vamos nesse curto espaço de tempo buscar implementar as políticas públicas que já estavam planejadas. Algumas coisas vão mudar, porque vamos direcionar uns investimentos que estão planejados dentro das nossas condições e possibilidades e implementar  o mais rápido possível. Semana que vem vou reunir com os prefeitos para fazer o levantamento de tudo aquilo que tinha sido planejado e acordado em reuniões com eles (prefeitos). Queremos, dentro do organograma, articular e dar celeridade para realizá-los dando ordem de serviços”.
O critério da capacidade e competência foram os fatores decisivos para a posse dos atuais secretários, conforme David Almeida. “Temos uma média de 77 órgãos, mas mexi em menos de 10% deles para não atrapalhar um planejamento feito antes. Eu não posso mudar tudo porque o tempo é escasso. Mas, o tempo que eu tiver, vou acelerar para efetivar as ações necessárias para a população”, explicou o governador.

Posse
 Na Procuradoria Geral do Estado (PGE), tomou posse Tadeu de Souza Silva, em substituição a Heloysa Simonetti Teixeira; na Secretaria de Fazenda (Sefaz), Francisco Arnóbio Bezerra substituiu Jorge Jatahy; na Secretaria de Saúde (Susam), Vander Araújo substitui a enfermeira Mercedes Gomes; na Secretaria de Educação (Seduc), Arone do Nascimento Bentes, substitui Algemiro Lima; na Secretaria de Produção Rural (Sepror), José Cidenei Lobo assume o cargo em substituição a Hamilton Casara. Na Secom, Claudio Barboza substitui Amaral Augusto, e a nova presidente de honra, do Fundo de Promoção Social (FPS) é Socorro Siqueira.
Para os secretários de Saúde e Educação, os compromissos nas pastas estarão pautados pelas diretrizes do governador David Almeida, que é o de garantir eficiência e solução nas ações durante a gestão.
ALE estuda pedir informações sobre eleição indireta ao TSE
O presidente da Assembleia Legislativa do Estado (ALE), deputado estadual Abdala Fraxe (PTN), informou, ontem,  que a procuradoria da Casa  está finalizando um estudo para ingressar com uma consulta ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sobre a possibilidade da realização de uma eleição indireta para escolha do governador do Estado, após a cassação do ex-governador José Melo (PROS) e do vice-governador Henrique Oliveira (SDD).
“Ainda estamos analisando a viabilidade ou não de se ingressar com esta consulta, a procuradoria da Casa ainda está finalizando os estudos para analisar se ingressamos ou não com esta consulta”, disse.
Questionado se a ALE ainda tem interesse em realizar a eleição indireta, o parlamentar disse que há “apenas interesse em respeitar a Constituição”. “Se a Constituição disser que a eleição é direta, nós iremos respeitar. Se a  Constituição disser que a eleição deve ser indireta, nós também vamos respeitar. Só queremos tirar a dúvida”, afirmou.
Na última sexta-feira, o então presidente da ALE e agora governador interino do Estado, David Almeida, defendeu a consulta ao TSE. “Quando existe um conflito de lei, esse conflito é resolvido pela hierarquia das leis. Portanto, cabe uma consulta ao (TSE) para reverter e realizar uma eleição indireta, ao invés de direta”, disse.  A última eleição indireta para governador do Amazonas foi em 1978, na ditadura militar.
Postagem Anterior Próxima Postagem
O Amazonense