Na última segunda-feira 27, foi dado cumprimento ao mandado de prisão do suspeito Fernando Cardoso Freire. Encerrando a investigação Técnico-Científica comandada pelo Laboratório de Genética Forense.

Em 2007 foi encaminhado ao Laboratório de Genética Forense um caso de estupro ocorrido no bairro do Jorge Teixeira, onde a vítima foi uma adolescente de 16 anos. O exame de DNA comprovou com 99,99% de certeza que Fernando Cardoso era o autor daquele crime hediondo. O material biológico do estuprador coletado no IML/DPTC, foi inserido no Banco Informatizado de Perfis Genéticos do Estado do Amazonas (CODIS) para ser confrontado com perfis de vestígios de outros crimes, ocorridos em diferentes datas e locais.

Em outubro de 2013, foi registrado outro boletim de ocorrência referente à crime de estupro no bairro Gilberto Mestrinho, o suspeito também era Fernando Cardoso, que fugiu do local.

Em 2015, registrou-se mais um estupro no bairro Vila da Prata, dessa vez sem testemunhas e sem qualquer suspeito.

A vítima foi encaminhada ao IML/DPTC para coleta das marcas e vestígios, a fim de inserí-los no CODIS e identificar um suspeito. 

Neste ano (2017), o caso estava prestes a ser arquivado por falta de suspeitos e/ou novas provas. Porém a equipe de Peritos Criminais do DNA/IC/DPTC entrou em ação e processou as amostras no novo analisador genético doado pela SENASP, coincidência ou não o material colhido na época do estupro ocorrido em 2007, identificou Fernando Cardoso Freire como autor do crime.

Após o resultado do exame, o Laudo foi encaminhado ao 21° DIP, que conseguiu localizar o criminoso cumprindo ao mandado de prisão por crime de estupro. A prisão aconteceu na última segunda-feira 27/03 .

Para o Diretor do DPTC-AM Jefferson Mendes, quando há suportes adequados a polícia consegue dar resultados eficientes e eficazes. "Essa prisão só foi possível graças aos esforços da nossa equipe do DNA Forense, e aos investimento que vem sendo feito na Polícia Técnico-Científica do Amazonas”Concluiu.

Post a Comment